• img
Como o transporte público pode transformar a cidade?

“Uma cidade desenvolvida não é aquela onde os pobres andam de carro, mas sim aquela onde até os mais ricos andam de transporte coletivo.”

Essa frase, dita pelo ex-prefeito de Bogotá, resume bem como o transporte público pode transformar um município: Mas para que os usuários do automóvel passem a utilizar também o ônibus como um meio de locomoção, alguns pontos fundamentais devem ser considerados:

  1. A forma mais simples é a organização adequada das linhas, com pontos de parada confortáveis, boa sinalização para usuários e controle da operação para evitar atrasos.
  2. Ter um sistema confortável e confiável que sirva adequadamente a todos é o principal passo para garantir que o ônibus seja um patrimônio da cidade, provando assim a qualidade de vida que ela oferece aos seus habitantes.

Como isso pode ser feito:

Em cidades maiores, os ônibus podem operar em corredores exclusivos de alta capacidade e qualidade, como em sistemas de trânsito rápido por ônibus – BRT (Bus Rapid Transit).

Mas o objetivo do BRT vai muito além de levar pessoas de um lugar ao outro. O sistema deve contribuir com o desenvolvimento urbano integrado, reduzindo o consumo de energia e a emissão de poluentes e promovendo a inclusão social.

Outra coisa a ser pensada é o estímulo ao comércio e serviços em toda sua extensão, pois isso reduz a necessidade de viagens ao centro da cidade. Por outro lado, aumenta a circulação de passageiros no BRT de forma a contribuir para que os custos da operação sejam distribuídos entre mais pessoas. Isso favorece a redução da tarifa e estimula ainda mais o uso do sistema.

Meios de transportes eficientes contribuem para reduzir o congestionamento dos grandes centros e tornam-se a base para um melhor crescimento econômico e sustentável das cidades. A melhor solução deve primar pela integração entre ônibus, trem, metrô, bicicleta e a opção de andar a pé. Combinadas, as modalidades de locomoção que atuam juntas na movimentação diária de pessoas podem garantir o seu direito de ir e vir, de uma forma cada vez mais sustentável.

Compartilhe isso:

Sem comentários!

Deixe um Comentário